Cinema | 19/12/2015 01:47 - Atualizado em 19/12/2015 11:17

Disney e J.J. Abrams acertam no novo Star Wars

Os recordes quebrados pela mais nova continuação da saga clássica de George Lucas mostram que a força de Star Wars não está adormecida.
Lançamento da Disney quebra recordes de bilheteria

Lançamento da Disney quebra recordes de bilheteria

Há muito tempo atrás – mais precisamente na década de 1970 – nessa mesma galáxia e planeta, o mundo nerd testemunhava o início de um pandemônio cultural: Star Wars. Mais de 35 anos depois, duas franquias de sucesso, milhões de dólares em merchandise, jogos eletrônicos e gerações diferentes de fãs conquistados, a força veio influenciar mais um estúdio. E, para alegria dos fãs, o estúdio não foi seduzido pelo lado negro da força.

Tudo começou numa terça-feira de Outubro de 2012. A Disney acabara de anunciar a compra da LucasFilm por uma quantia de US$4,05 bilhões. O fato não foi bem recebido por uma parte dos fãs, que se mantiveram céticos quanto à capacidade produtiva da Disney – apesar do prestígio no cinema – ser capaz de recriar um universo tão vasto e clássico como o de Star Wars, mantendo-se fiel e satisfatório para os fãs de carteirinha da série de George Lucas. Porém, outra parcela dos fãs estavam animados ao saberem que Lucas continuaria envolvido nos projetos futuros, mesmo que apenas como consultor criativo. O que, se tratando de George Lucas, o cérebro por trás de Star Wars, era um grande lucro e alívio para os ávidos consumidores da saga.

Antes mesmo de estrear, Star Wars já batia vários recordes ao redor do mundo. O fenômeno de Guerra nas Estrelas já era visível como a grande estréia de 2015. No Brasil, no dia da estréia, “Star Wars – O Despestar da Força” ultrapassou R$ 9,5 milhões e de tornou a maior abertura do ano – E DA HISTÓRIA. A informação é do Filme B Box Office.  Nos EUA, o filme estreou quebrando recordes assim como no Brasil e ultrapassou, nas sessões de pré-estreia, U$ 50 milhões. O recorde para pré-estreia anterior pertencia à “Harry Potter e as Relíquias da Morte”.

Os números seriam o suficiente para sentirmos o poder por trás da série galáctica de George Lucas. Porém, além disso, a Disney não decepcionou e J.J. Abrams, que controla o leme na direção, não desapontou nem um pouco os fãs “das antigas”. Foi muito sensível na direção e trouxe um filme consistente com o paladar apurado de quem preza Star Wars como filosofia de vida. Personagens antigos, para deleite de muitos, estão de volta. Vemos a Princesa/General Leia e Han Solo, arqueados pelo tempo, porém sem perder a pose nem a majestade que são latentes nesses personagens.

Os cenários iniciais – ALERTA DE SPOILER A PARTIR DESTE PONTO –  lembram muito o Episódio IV. Parece mesmo que o filme na tela, em certos momentos, é aquele mesmo que estreou em 1977. Logicamente que está recheado de efeitos especiais e a computação gráfica foi medida com critério e cuidado, diferentemente do “Episódio I: A Ameaça Fantasma”, onde os CG chegavam a pesar nos olhos.

Os novos protagonistas são diferentes dos vistos até agora. Há o Stormtrooper que busca redenção de uma vida de obediência cega à Primeira Ordem – que se apresenta como o que sobrou do Império Galáctico, depois da queda de Darth Vader e do próprio Imperador. Há a menina orfã, que mora em um planeta desértico, sem família e que vive até então uma vida monótona, tantando somente ganhar o “pão de cada dia”. Parece familiar? Não fique surpreso se pensar que já viu essa história antes. Até mesmo a ameaça dos vilões é repetitiva. Cheia de certos clichês que acusam uma falha no roteiro.

Apesar das brechas que aos poucos serão desmascaradas pelos próprios fãs – só precisamos esperar o efeito entorpecedor da estreia passar – Star Wars não deixa a desejar. É uma grande homenagem à uma saga que por 3 gerações vêm instigando a imaginação de muitos. A força está com a Disney nesse momento. Ao que tudo indica, J.J. Abrams é o Mestre Jedi que vai trazer equilibrio a uma saga que já passou por altos e baixos.

Que a força esteja com eles!

 
conheça o autor

Fanática por cultura Nerd em geral. Principalmente as sagas Star Wars e Star Trek. Adora ciência, principalmente a cosmologia. Estuda jornalismo e quer ser uma eterna adolescente!