Entre os baixos e baixos da campanha, quem se destaca é o vilão Raul Menendez.

Entre os baixos e baixos da campanha, quem se destaca é o vilão Raul Menendez.

Call of Duty: Black Ops 2 vem ao mundo com a missão de repetir o sucesso explosivo das últimas versões. E mesmo com algumas tentativas de mudar o rumo das coisas, “repetir” foi exatamente o que a Activision, em parceria com a Treyarch, conseguiu para esse ano.

Misturando passado e futuro em uma campanha curta e carente, o jogador é levado pelas histórias de Woods e Mason, que entrelaçadas demais, terminam causando uma tremenda confusão.

A novidade do modo são as sequências em que é possível fazer escolhas, como poupar a vida de um vilão ou escolher um caminho diferente para seguir. Apesar de adicionar algumas mínimas variações, as mudanças não fazem o modo solo se destacar.

O deprimente modo Strike Force, que aparece enfiado entre partes da campanha, também não ajuda muito. Nele, o máximo que você vai conseguir é chorar de raiva, enquanto tenta proteger pontos marcados, dos quais os seus instruídos aliados insistem em se afastar.

Meio durões, os cavalos também fazem uma participação especial

Meio durões, os cavalos também fazem uma participação especial

Treta de qualidade

Pode parecer tudo muito triste, quase trágico, mas lá no fundo, isso pouco importa, já que Call of Duty: Black Ops 2 brilha mesmo no modo multiplayer. Mas não tanto.

Mantendo todas as mecânicas que levaram o FPS ao topo, o modo multijogador de BLOPS2 é uma experiência sólida e divertida. É difícil não sentir-se recompensado pelas armas e equipamentos desbloqueados com o avanço no jogo e pelo viciante desafio de subir nos rankings.

O novo modo de ligas coloca os jogadores para enfrentarem inimigos classificados no seu nível de habilidade. Conforme o desempenho melhora ou piora, você será promovido para níveis mais complicados, ou comer o pão que o diabo amassou para recuperar o seu posto.

Também da pra transmitir suas partidas, salvar e assistir replays pelo COD TV. Passa longe de ser simples, mas é uma opção para os entusiastas.

Por outro lado, depois de repetir basicamente as mecânicas por meia dúzia de anos, esse modo também já mostra acentuados sinais de fraqueza.

Sem grandes novidades, o modo multiplayer continua divertido e frenético

Sem grandes novidades, o modo multiplayer continua divertido e frenético

Nova velha guerra, em português

Mesmo com a nova ambientação, armas e equipamentos bastante interessantes, Black Ops 2 não consegue oferecer muito mais do que a fórmula de sucesso, vista pela última vez em Modern Warfare 3. No geral, o multiplayer é a versão 2013 com o reforço de alguns bons novos mapas.

Os zumbis voltaram com tudo, dessa vez com um modo campanha

Os zumbis voltaram com tudo, dessa vez com um modo campanha

O afamado modo zumbi também desfila alguns novos mapas e mecânicas, além da nova e divertida campanha, que adiciona ainda mais valor para o pacote. Ela pode ser aproveitada tanto sozinho, quanto na companhia de outros jogadores.

Tudo na mesma também para os gráficos e jogabilidade, que além de pequenos ajustes, continuam consistentes. Mesmo com o engine batido, ainda é comum trombar com belos efeitos em algumas passagens.

Na parte sonora, o destaque fica para a dublagem para o português. Indiscutivelmente bem intencionada, ela peca em alguns pontos importantes. Isso sem falar das dezenas de opções excêntricas, como o pobre care package, que terminou virando “cesta básica”.

Amor em carinho até em excesso

A Activision nunca foi famosa por tratar as suas grandes franquias com o amor e carinho necessários. Talvez, aliás, ela seja amorosa até demais.

Esse sentimento confuso faz com que a gigante americana termine por saturar os fãs com um caminhão de jogos repetitivos e pouco inspirados. Algumas das vítimas desses exageros são as séries Tony Hawk’s Pro Skater, Guitar Hero, e mais recentemente o shooter Call of Duty.

O último, claro, ainda não chegou ao fundo do poço como os outros, e inclusive ainda lidera as listas de mais vendidos e mais jogados. Mas até quando?

Apesar de não trazer novidades bombásticas para a série, Black Ops 2 traz um pacote de respeito, com opções para todos os gostos. Indicado para os velhos fãs e principalmente a todos que ainda não experimentaram Call of Duty.

Resta esperar que no próximo ano a franquia ganhe boas novidades, ou a coisa vai ficar preta de verdade, sem “Ops”.

Vale todo tipo de tecnologia.

Vale todo tipo de tecnologia.

Ficha Técnica
Título Call of Duty: Black Ops 2 Nota?
Plataforma PlayStation 3 / Xbox 360 / Microsoft Windows / Wii U
7.0
Gênero Tiro em Primeira Pessoa Grau?
Publisher Activision B
Desenvolvedor Treyarch
Lançamento 12 de Novembro de 2012
Jogadores Até 4 jogadores local / até 18 no Multiplayer Online

Escrito por Murilo Molina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s