Ficha Técnica
Título Tactics Ogre: Let Us Cling Together
Produção Square Enix
Desenvolvimento Square Enix
Gênero RPG de estratégia baseada em turnos
Jogadores 1 (multiplayer indireto)
Nota 8,0

Tactics Ogre é um jogo de estratégia de turnos com uma história rica em personagens e reviravoltas. (Foto: Divulgação)

RPGs de estratégia devem muito à “Tactics Ogre”. A profundidade de sua história, elementos e estilo de jogo iriam influenciar muitos títulos posteriores. Mas, até agora, não havia um lançamento de boa qualidade em língua inglesa; o remake do Playstation era lento e tinha uma tradução pouco inspiradora da Atlus. A versão do PSP, retrabalhada pela Square Enix, consertou quase todos os erros, trouxe uma tradução exemplar, e, apesar de introduzir alguns novos problemas, é a melhor versão do jogo.

“Tactics Ogre” é obra da mesma equipe que trabalhou em “Final Fantasy Tactics”, em “Vagrant Story” e “Final Fantasy XII”. O diretor do remake foi o artista Hiroshi Minagawa, que criou as novas artes para as classes e retratos para os personagens. A trilha sonora foi remasterizada pelos compositores originais e definitivamente vale a pena usar o fone de ouvido para perceber o trabalho minucioso nas músicas e efeitos sonoros.

A mudança mais relevante está no sistema de batalhas. Cada personagem tem uma classe (guerreiro, cavaleiro, mago, arqueiro…) e os pontos de experiência, ganhos de forma coletiva ao fim da batalha, são distribuídos para as classes e não para os personagens individualmente. Isso significa que não existe mais aquele personagem inútil que entra em seu grupo com nível inferior. Basta mudar a classe para uma de suas favoritas ele estará no mesmo nível dos demais.

As especializações de cada personagem ficam por conta das habilidades (skills). Pontos de skills são distribuídos apenas entre os participantes de uma luta. Mas também não importa se alguém participou ativamente ou não da luta – o personagem fraco pode ficar em um canto enquanto os inimigos são derrotados pelos personagens mais fortes e ele receberá a mesma quantidade de pontos.

A mecânica básica do jogo é como a de qualquer outro RPG de estratégia. No início é preciso escolher os personagens que participarão da batalha e em seguida o campo é apresentado em uma visão isométrica. Cada personagem tem um turno (individual, não dividido em “fase do inimigo” e “fase do jogador”) e é possível ordenar movimentos e ataques.

Outra novidade fica por conta do sistema Chariot. Apertando o L é possível “voltar no tempo” em até 50 turnos, reduzindo o trabalho com constantes “Save/Load”.

O continente de Valeria conta com vários castelos que o herói precisa atacar. (Foto: Reprodução)

Uma história de traição e guerra

“Tactics Ogre” tem uma história complexa, envolvendo a guerra pelo domínio do continente de Valeria pelos diversos clãs que habitam a região. Denam é um jovem participante da resistência dos Walister, uma minoria, contra o domínio do Balbatos e seu clã de Galgastan. Existe ainda a facção dos Xenobia e Bakram.

Junto com seu amigo Vyce e sua irmã Catiua, Denam liberta o duque Ronwey de sua prisão, dando novo fôlego à resistência e transformando Denam em um herói. Carregar a reputação de herói não é tão fácil quando se tem 18 anos, porém.

Melhorias 3D na batalha não foram acompanhadas de melhorias 3D no mapa. Game oferece visão 2D superior como alternativa. (Foto: Reprodução)

Probleminhas

O jogo também tem um extenso sistema de criação de itens. As relações, porém, são muito complexas. É preciso um minério simples para formar outro de nível médio, e tantos de nível médio para formar o avançado, que só então poderá formar o item desejado.

Mas não dá para criar itens em massa – muito tempo será perdido mudando o cursor de “no” (padrão) para “yes” e confirmar a criação do item. Será preciso isso de dez a vinte vezes para criar um único item – em um jogo que permite usar dezenas de personagens, e até 12 em uma única batalha, cada um com cinco itens, isso não é bom.

O multiplayer é uma mentira – tudo que é possível é baixar os personagens do amigo e lutar contra eles em uma inteligência artificial.

Apesar disso, Tactics Ogre é um excelente jogo de estratégia. Esses recursos podem ser ignorados por quem não gostar, e quem quiser mais opções para criar determinado item ou elevar uma classe exótica a níveis altos terá muitas horas de jogo pela frente. Quem gosta de um RPG de estratégia com boa história contada em balões de quadrinhos não precisa nada além de “Tactics Ogre: Let us Cling Together” no PSP.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.